Conheça os benefícios do chá verde

abril 30, 2008

O sabor é um tanto amargo. Mas, mesmo assim, o chá verde tornou-se o queridinho da vez. E não é só no chá das cinco. Afinal de contas, são tantos os benefícios atribuídos a essa bebida milenar e de tradição oriental que não há como não se render a umas boas doses de saúde diariamente.

Feito com as folhas da Camellia sinensis – a mesma erva que dá origem ao chá preto – o chá verde ajuda na perda de peso, diminui as taxas de colesterol, controla a pressão arterial, ativa o sistema imunológico, diminui o risco de artrose, aterosclerose e outras doenças degenerativas, e tem ação cicatrizante por uso tópico. Além disso, quando utilizado em bochechos e gargarejos previne cáries e ajuda a combater infecção na garganta.

O poder do chá verde está em sua composição. “Ele contém altas concentrações de antioxidantes como as catequinas, os carotenóides e os flavonóides, estimulantes como a cafeína, minerais (potássio, sódio, flúor, entre outros), além da teofelina, que é um potente vasodilatador”, enumera a nutricionista Mônica Dalmácio, membro do Conselho Regional de Nutrição.
Recentes estudos realizados por pesquisadores japoneses do Centro Nacional Epidemiológico de Prevenção contra o Câncer ainda associam o consumo da bebida ao menor risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer, como de pele, pulmão, ovário e próstata. “Os resultados positivos estão relacionados aos bioflavonóides e às catequinas, substâncias de ação anti-inflamatória e antioxidante, que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores¿, destaca Mônica.
No processo de emagrecimento, o chá verde atua como importante auxiliar, pois tem ação desintoxicante, digestiva e diurética. Além disso, a combinação de polifenóis em sua composição acelera o metabolismo. “Ele provoca uma sensação de saciedade. Mas quem quer perder peso não deve substituir uma alimentação equilibrada pela bebida. O ideal é fazer uso do chá em conjunto com uma dieta saudável, pobre em gordura e açúcares, além de alguma atividade aeróbica”, avisa a médica ortomolecular Luciana Granja.

Mas é recomendável não abusar da bebida. “O consumo em excesso e o chá muito concentrado podem levar a gastrite, devido à cafeína. Nada em exagero traz benefícios”, destaca a nutricionista Mônica Dalmácio. Segundo ela, o ideal é consumir a bebida em pequenas doses de 50 ml (copinho de café) ao longo do dia.  

 

 

Fonte: O Dia Online


Alimentos Funcionais

abril 27, 2007

 

fruta2.jpg

Os alimentos intitulados funcionais são aqueles que contêm algum componente que traz benefícios à saúde, além dos nutrientes necessários ao organismo. Mas, para você diminuir o risco de doenças crônicas não transmissíveis, é necessário uma boa alimentação –ou seja, uma alimentação balanceada. De nada adianta tomar uma cápsula de um componente funcional (o licopeno ou betacaroteno, por exemplo) e consumir muitos alimentos ricos em gordura animal ou gordura hidrogenada (encontrada em produtos industrializados), açúcares, doces e bebidas alcoólicas.

O licopeno é um carotenóide presente em diversos alimentos, como tomate, melancia e goiaba. Ele dá cor avermelhada a eles. Alguns estudos indicam que o consumo constante desses alimentos auxilia na redução do risco de alguns tipos de câncer, como o de próstata. Já o betacaroteno também é um carotenóide que age como um poderoso antioxidante, auxiliando na diminuição dos radicais livres do organismo. Está presente, por exemplo, no mamão, na cenoura e no melão.

Conheça outros alimentos com propriedades funcionais:

Aveia: rica em fibras, pode diminuir o risco de desenvolvimento de câncer de cólon e auxiliar na diminuição dos níveis de colesterol ruim (LDL) do organismo quando ingerido diariamente (crua ou cozida).
Maçã: tem propriedades antioxidantes e é rica em fibras solúveis. A ingestão regular de maçã também ajuda a reduzir as taxas do colesterol prejudicial ao organismo, prevenindo problemas cardíacos.
Uva: a casca da uva, utilizada na preparação do vinho tinto e no suco de uva, contém fitoquímicos conhecido por terem quercetina, que aumenta o colesterol bom (HDL) no sangue, prevenindo doenças cardíacas. Dê preferência ao suco de uva em vez do vinho.
Brócolis: por ter substâncias bioquímicas conhecidas como indóis e isotiocianatos, previne alguns tipos de câncer e pode auxiliar na redução de colesterol.
Sementes: ricas em gordura benéfica (insaturada) que auxilia no nível de colesterol bom (HDL) e diminui o ruim (LDL), auxiliam na prevenção de doenças cardíacas. São excelentes fontes de vitamina E e têm poder antioxidante.
 

Fonte: Folha Online – Coluna Nutrição e Saúde – Andréa Galante